4 de jul de 2013

Quando as decisões se tornam fáceis

Alegria, alegria!


 Quando alguém se espanta e menospreza que eu visite gatos, que eu goste de gatos, que gatos me importem (ou outros animais)


a decisão de não aceitar este alguém na minha esfera privada de relacionamentos fica muito, muito fácil


porque eu não faço pouco caso dos gostos dos outros. Se é algo neutro ou construtivo, oras, que cada um goste e faça o que quiser. Se amas bolinhas-de-gude, se viajas para conhecer roupas de Batman, se colecionas folhas caídas de árvores...seja feliz! Claro, só vou me afastar de quem gosta, por exemplo, de touradas, farra-do-boi, matança de mendigos e outras "absurdidades". A decisão que já estava intuitiva no meu coração, só se confirmou. Nunca duvidem da intuição!

6 comentários:

  1. Acho que respeito é muito bom, e devemos dar espaço para o que faz cada um feliz. TEnho uma amiga que por trauma de infância tem verdadeiro pavor de gatos (vai entender?)mas o que interessa é que ela respeita meu amor pelos meus gatos, pergunta por eles e apenas brinca que eu aumentei o número de gatos para ela não poder me visitar. Ela até já deu presentinhos para os bichanos, mas na única vez que veio na minha casa eu prendi os gatinhos ( só tinha o Shake e a Tixa ) por respeitar seus medos e saber que ela não estava fazendo pouco caso deles ou apenas de frescura. Agora quem fala que não gosta de gatos apenas por não gostar e implica com meus amores, eu simplesmente me afasto.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eve, exatamente nesta linha de pensamento. Eu, também, sempre aviso as pessoas de que tenho gatas, se quiserem vir me visitar. Não quero converter ninguém sobre nenhum assunto, se não concordo, me afasto. E quando alguém se mostra extremamente desrespeitoso com algo meu é um sinal de que coisas piores podem vir. Começa assim, menosprezando, depois vira implicância e, depois ainda, há, sei bem, vira mandar em meus gostos, então...como dizia minha mãe e eu repito: cada um com seu cada qual ou, na versão resumida "cad'um, cad'um"

      Excluir
  2. Tia Cris eu tentei explicar para todo mundo que a casa é muito pequena, e só vc para perceber que não sou gordo, na verdade sou fofo e forte. Quero ficar apenas na cobertura que me cabe bem, mas a Tixa fica disputando o espaço ( a folgada ).
    Ronrons do Shake.

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente contigo.Cada um com seu cada qual, não é?
    Beijos! Adorei a imagem!!
    Sonia

    ResponderExcluir
  4. Amiga querida, tenho uma vontade tamanho do mundo de escrever um resumo do texto que trouxeste do outro blog, escrever numa faixa e prender nos postes de um lado a outro da rua (agora é proibido aqui em czo) para ver se os malucos, sim quem tem medo e horror de gatos é maluco, um bom psiquiatra ajuda com certeza, bem, para ver se eles entendem que não somos as "loucas dos gatos" e sim, súditas deles!
    E, veja só, hoje esteve aqui uma "chefa" de equipe de combate a dengue e não encontrou nada irregular, já na casa da vizinha onde deusolivre passar um gato por perto, foram encontradas larvas e pupas do aedes nas bromélias. Quem sabe se os gatos andassem por lá, tomariam a água e não teríamos problemas.
    Ronrons, (ops), beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Cris, como andam as coisas por aí?
    Obrigado pelos parabéns..
    Há dias não tenho dito tempo de sentar, ler no computador, abrir o blog, e-mail etc...
    Também, precisava de um descanso, se não ia ficar doente de novo..
    Da última vez que falei contigo também estava bem atucanada e na correria... como estão as coisas por aí agora?
    O "friozinho" de julho anda fazendo bem?
    Abraços e boa semana!!

    ResponderExcluir

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!