30 de mar de 2015

Língua Felina de Sinais

Apesar de não ser surda, falo oralmente pouco com as gatas, prefiro uma comunicação mais na base dos olhares e toques. E funciona muito bem, elas são calmas e muito queridas.


Já a Benta, de alguns de meus amigos surdos que ela conhece, desenvolveu uma especial atenção para os movimentos das mãos. Ela fica olhando, olhando...bem interessada. 

21 de mar de 2015

Outono 2015

Minhas estações do ano favoritas: Outono e Primavera.
Pressinto um ótimo outono.
Bençãos a todos!
http://magickalgraphics.com/Graphics/Occult/Sabbats/Mabon/mabon3.jpg

* Devo ser meio pagã, pois apesar de não acreditar em deuses, acredito na força maravilhosa da Natureza. Além de achar lindo e me identificar com os símbolos retratados, especialmente a cornucópia. Desde menina, achava bonito os quadros que apareciam uma cornucópia e o colorido de frutas, verduras e flores saindo de dentro delas.
http://3fasesdalua.blogspot.com.br/2012/09/mabon-equinocio-de-outono.html

https://ramaker.files.wordpress.com/2008/11/cornucopia.jpg


20 de mar de 2015

Dia de nadismo

Tive uma indisposição e tirei o dia para meu corpo se reparar. Não fui trabalhar, pois faz alguns anos percebi que não vale a pena sacrificar a saúde pelo trabalho onde, geralmente, nosso esforço não é reconhecido. Mais vale a saúde, mil vezes, um milhão de vezes!
Passei o dia deitada, como há muito tempo não fazia e, apesar de ter o impulso de sair fazendo alguma coisa, algum trabalho, me controlei e me entreguei ao simples ato de relaxar e deixar o meu corpo se curar. Resultado? Ótimo! Este negócio de forçar o corpo a trabalhar, quando ele deveria estar descansando, é o que causa a demora na recuperação ou em doenças que ficam crônicas, assim eu penso. 
Nada como não fazer...nada (ou quase).
Andamos em um ritmo tão frenético que nos custa, inspirar e relaxar, expirando.
Pratique o NADISMO (em inglês, acho que seria: nothingism) você também!


17 de mar de 2015

Pão com fermentação natural

Me inspirei e comecei a fazer um pão ou bolo (depende do ponto de vista) de fermentação natural.
No olho, sem medida certa, misturei farinha de trigo (integral), água morna (quase fria) e umas tâmaras (chique) que estavam, coitadas, já meio sequinhas no refrigerador. Coloquei em uma travessa de vidro e deixei a mistura se entender na prateleira de cima do armário das comidas e louças. 
Esqueci de tirar foto desta primeira etapa, mas fica uma massinha mole e disforme.
No dia seguinte, porque o clima anda com temperaturas quentes, já tinha começado a fermentação. Deixei mais aquele dia para amadurecer o processo.
No outro dia, juntei mais farinha (somente), até o ponto de ficar uma bola mole.
Ficou assim:

Deixei mais um dia e, hoje, juntei mais farinha, um pouco de água, sovei, sovei e sovei. Tirei todos os caroços das tâmaras, separei um punhado para ser meu futuro fermento, dei forma a dois pãezinhos e deixei descansar. 
Primeiramente, coloquei no fogo fraco (meu fogão não tem temperaturas) e depois aumentei e fui cuidar da vida: tomar banho etc. Depois de um bom tempo sinto aquele cheiro típico de pão assado na hora e fui olhar. Também não controlei o tempo em minutos, foi meio intuitivo o processo, quando senti o perfume do pão que fui ver a primeira vez, tirei uma prova e estava quase pronto.


Deixei mais um pouquinho, virando a forma porque meu forno é "guenzo", assa mais em um lado do que em outro. E *tcharan!*



É um pão massudo, mas ficou MUITO bom, levemente adocicado, por causa das tâmaras. Eu já tinha tentado fazer pão de fermentação natural antes, mas acho que não tive paciência e ficou muito ácido e com gosto de fermento mesmo. Este, de hoje, não ficou ácido e, apesar da massa mais pesada (sou suspeita porque gosto até de bolo abatumado), ficou com cheiro e gosto bem bons.
Acho que a idade ajuda, pois agora tenho mais paciência de esperar dias até que fique bom para assar hehehe
Próxima aventura é tentar fazer um pão de frigideira. Estou com saudades do pão de frigideira que minha mãe fazia e que eu não me interessei de aprender. A receita morreu com ela. Vou tentar resgatar na Internet e com conhecidos.

11 de mar de 2015

Coisas, Panos e Pets da Beth visita o Sítio da Cris

Pois assim eu digo, fiz amizades com o blog que não se faz em Facebooks da vida. Uma delas, que virou minha comadre, é a Beth do http://coisasepanosdabeth.blogspot.com.br/
Sou uma anfitriã meio tosca por conta de minhas escassas habilidades sociais, mas tenho me empenhado em ser mais hospitaleira e "me puxei" para receber a Beth.


Para quem é meio ermitã, confesso que gostei muito da visita, conversamos bastante e me senti feliz em fazer o meu melhor para a comadre se sentir à vontade. Quando espíritos afins se encontram, sempre é em um clima de compartilhamento e paz.
Grata e volte sempre, Beth!

7 de mar de 2015

Leonard "Spock" Nimoy: homenagem atrasada

Ficção Científica é um de meus gêneros preferidos (leitura ou vídeo) desde pequena. Era fã da série, mas muito mais do Sr. Spock.
Sempre digo que tenho, no mínimo, dois lados muito diferentes, um de Spock e outro de uma doidivanas qualquer.
Uma perda, vai deixar saudades...






3 de mar de 2015

Momento a momento.

Quando as fases mais trabalhosas começam na vida, é importante lembrar de viver e resolver tudo, momento a momento.


2 de mar de 2015

Benta, em momento de Frajola (Sylvester, the cat)






Qualquer semelhança, quem sabe, pode ser, uns dizem que...é mera coincidência.
Benta, minha frajola desbotada hehehe

1 de mar de 2015

As Adoradoras

Mel, a adoradora do Sol

Clara Francesca, a adoradora da torre arranhador

Benta, adoradora do agito