26 de mar de 2011

Sou uma filha de Artêmis mesmo!

Embora eu seja mais da coleta e agricultura, definitivamente sou regida pelo arquétipo de Artêmis:

http://www.tarotpassages.com/goddesscomparisons2.htm


ARTÊMIS / DIANA
Ártemis (Lua): é a mulher atlética, que aprecia a vida ao ar livre e os animais. Ama a natureza e dedica-se á proteção do meio ambiente. Respeitada, sabe viver só e sente-se bem assim. Pode ser vingativa e cruel, se ultrapassarem o limite imposto por ela mesma no seus encontros
· irmã gêmea de Apolo, deus do Sol. Sua mãe, Leto, era uma divindade da natureza, filha de Titãs. Seu pai era Zeus, deus líder do Olimpo.
· Deusa do parto.
· Pedido ao pai: arco e flechas, uma quadrilha de cães de caça, ninfas para acompanhá-la, uma túnica curta para correr, montanhas e selvas como seus lugares especiais e a castidade eterna. Seu pai lhe concedeu tudo e mais o privilegio de fazer suas próprias escolhas.
· Deusa da caça e da Lua – personifica o espírito feminino independente. Podia objetivar qualquer alvo e sempre acerta-lo.
· Capacidade de concentração e direcionamento possibilitam-na atingir qualquer meta.
· Como deusa virgem, era imune de se apaixonar e representa um sentido de integridade, uma atitude de cuidar de si mesma. Esse arquétipo possibilita a mulher sentir-se completa sem um homem.
· Representa as qualidades do movimento feminista: empreendimentos e competência, independência dos homens e das suas opiniões, e preocupação pelos atormentados, pelas mulheres fracas e pelos jovens. Irmandade entre as mulheres.
· Afinidade com a selva e a natureza não doméstica, responsável pela identificação que algumas mulheres experimentam entre si mesmas e a natureza, quando saem com mochilas pelas montanhas, adormecem no luar, caminham numa praia deserta etc.

a) Trabalho: Empenha-se no trabalho que tem valor subjetivo para ela. È estimulada pela competição e não se amedronta com oposição. Os interesses perseguidos por ela não têm valor comercial e não conduzem a uma carreira. Algumas vezes, o interesse é tão pessoal ou fora do comum, tão absorvente quanto ao tempo, que a falta de sucesso no mundo ou a falta de relacionamentos são garantidos.

b) Homens: Fraternal.
· Como sua irmã, Apolo é andrógino. O casal Ártemis-Apolo é o modelo mais comum de relacionamentos da mulher-Artemis. Pode resultar num casamento assexuado, amigável. Algumas mulheres até casam com homossexuais e valorizam o companheirismo e a independência que cada parceiro permite ao outro.
· O 2º padrão comum é o de envolvimento com homens que as sustentam. Tal homem é uma pessoa com a qual ela se sente à vontade. Se for incompatível pode lembrar os conflitos pai-filha: o marido não aprova suas atitudes, é rebelde etc.
· O 3º tipo de homem atraído pela pureza de Ártemis, sua virgindade e identificação com a natureza primitiva, é o tipo Hipólito, um jovem atraente, que se dedicou a deusa Ártemis e ao celibato. Tais homens que parecem ser tão puros, ficam ofendidos pela sexualidade pura e simples. Eles podem estar na fase final da adolescência ou no começo da fase adulta e ser castos.

c) Filhos: Estar grávida ou amamentando não é motivo de realização para a mulher- Ártemis. Não sente atração para ser mãe, no entanto gosta de crianças. Quando mães, encorajam a independência, ensinam seus filhos a se defenderem sozinhos e pode ser cruel na defesa deles. Não olham para trás com saudades da época que eram bebes, olham para frente, quando seus filhos serão independentes.

Fonte do texto: http://www.rodademulheres.org.br/pdf/Ofemininoeseusarquetipos.pdf


http://www.tarotpassages.com/goddesscomparisons2.htm

Para as mulheres contemporâneas, o arquétipo de Ártemis traz três ensinamentos extremamente importantes.
O primeiro deles refere-se ao aspecto “virginal” da Deusa. Esta palavra nada tem a ver com castidade, pois ela significava “auto-suficiência” para os antigos, ou seja, a mulher pode sentir-se plena, segura e realizada por si mesma, sem buscar ou necessitar do auxílio ou amparo masculino.
O segundo ensinamento, decorrente do primeiro, é sobre a necessidade das mulheres saberem se proteger, em todos os níveis, de qualquer tipo de agressão ou intromissão. Assim como as “Mães Ursas, elas também devem defender suas “crias”, principalmente as meninas, orientando-as a evitarem as investidas dos “caçadores” e predadores da selva de concreto.
O terceiro aprendizado trazido por Ártemis pode ser resumido na expressão “voltar à terra”, ou seja, resgatar a conexão primordial com a Natureza – interior e exterior, e recuperar as energias perdidas no stress urbano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!