26 de mar de 2012

Crianças sem limites

Não posso deixar de me horrorizar com a gritaria diária da filha da vizinha. Deus me livre se eu sequer respondesse pra minha mãe! Para mim, boa parte dos descaminhos atuais são devidos à falta de limites colocados para as crianças. Isto já virou chavão, mas continua sendo verdade. As crianças crescem e se acham donas de tudo, merecedoras de tudo, intolerantes às naturais frustrações da vida.
Não conseguiu o que quer? Lá vem um ataque histérico pela frente...
http://3.bp.blogspot.com/_jHiPGQxAOKA/S8HWxXferiI/AAAAAAAAFSw/J_J5rwMoAlc/s400/viafreud-psicanalise-psicanalise-com-crianca-crianca-mimada-rebelde-manha-filhos-infancia.jpg

Não pode atirar os brinquedos no chão? É sapateio e gritos. Não dão o que ela quer na hora que ela quer? São rosnados e xingamentos.
Assisti a um documentário sobre crianças com diversas síndromes que envolvam a bipolaridade e, me solidarizei um pouco mas, confesso, uma boa percentagem poderia ser controlada com limites. Se é doença tem que ser tratada, mas não se pode, também, permitir tudo porque a criança/pessoa "é doentinha".
No caso, a filha da vizinha demonstra alguns dos sintomas que eu vi, gente, ela rosna! Sério! Ou é caso de terapia ou de exorcismo e desobsessão. E são ataques bombásticos, acho que não só o prédio, mas toda a quadra deve escutar os "AHHHHHHHHHHH, filha da p*t*, vai te f*d*r, vai à m*rd*!!!" e por aí vai, dirigidos à mãe.
Eu me apavoro com o palavreado e falta de respeito à mãe.
Não posso deixar de sentir algum alívio, por não ter tido filhos, pena destes pais e horror pela situação, em geral.
Disto duas coisas positivas eu tiro:
  1. sempre ter tido paz na minha casa, sem estas gritarias e discussões e
  2. louvar as famílias que têm paz e bons filhos.
Como diria a minha mãe: "disconjuro!"

5 comentários:

  1. Tenho realmente PAVOR de criança mal educada. a Rafaela nunca levou um tapa, mas teve limites. É uma criança doce e educada (não digo que não tenha rompantes que toda criança tem)... ufa!!! Espero que a adolescência tb seja calma. =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu levei UM tapa da minha mãe. De resto sempre fui controlada simplesmente pelo olhar "43" dela. É normal ter um que outro descontrole, é até aprendizado, mas todos os dias e várias vezes ao dia e na intensidade que esta menina tem...tô procurando o telefone do Padre Quevedo porque: "isso naum ecsisteee!".

      Excluir
  2. Eu também fui criada a base do olhar pela minha mãe, raramente ela perdia a paciência e dava uns tapinhas. Minha mãe fala que eramos crianças supereducadas, claro com um ou outro evento isolado, mas hoje em dia acho que esta um pouco mais difícil, algumas crianças são verdadeiros reizinhos e não aceitam um não, e o pior que é uma coisa geral. O tarefa complicada essa de educar, porque não envolve só voce mas o mundo ao seu redor e tudo reflete no comportamento da criança.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu também não suporto crianças assim, acho um horror quando vejo alguma gritando em lugares públicos e fico imaginando como seria em casa! Eu acho que as crianças que convivem com animais são mais tranquilas e felizes. Eu tenho muito orgulho de ter filhos tranquilos e educados, o meu filho sempre foi o melhor aluno em todas as escolas que estudou, inclusive na faculdade, mas o apartamento dele é um nojo! Ele é super desleixado! A minha filha nunca gostou de estudar e agora está adorando a faculdade e se empenhando muito, mas ela é excessivamente consumista e vaidosa (puxou ao pai). Todo mundo tem defeitos e qualidades e eu acho que as crianças já nascem com uma personalidade determinada e as que são muito geniosas precisam de mais limites que outras ou talvez precisem de mais carinho também!
    Eu eduquei meus filhos com muito diálogo e acho que é por isso que não consigo educar o Barum! Ele não me escuta...
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  4. Putz gente, tomara que ninguém leia meu comentário. Meus filhos não gritavam, eu é que fazia isso o tempo todo, quando não colocava discos de vinil do Roberto Carlos e Júlio Iglesias a todo o volume pra curar as dores de cotovelo. Lembro que um dia meus filhos estavam discutindo, ela pré adolescente e ele criança e o pequeno disse para a irmã: vamos ficar quietos porque ela tá falando baixo... então, quando era sério eu falava baixo e eles entendiam.
    Quanto aos pitis das crianças de hoje, é excesso de Conselho Tutelar e falta de educação. Meu neto não grita, quando está bravo ele parte direto para a agressão, já levei um tapa no rosto e retribui com um tapinha na mão e meu filho disse: "mãe, estás te colocando ao nível dele, o certo é virar as costas, não valorizar a atitude", então tá, por isso é mais fácil conviver com cães e gatos.
    Beijinhos
    Beth

    ResponderExcluir

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!