19 de mar de 2012

Flores enquanto estou viva

Minha mãe, e minha família em geral, eram pouco estudados, mas tinham uma sabedoria da vida muito interessante. Boa parte era na forma de ditos, ditados, aforismos e frases populares. Neste ano, que elegi para redirecionar a minha vida, tenho pensado bastante nos meus pais e em sua sabedoria e como fizeram o melhor, dentro de suas possibilidades.
Hoje acordei pensando no que a mãe dizia: "me deem flores agora e não quando eu morrer, não quero ninguém colocando flores no meu túmulo porque eu não vou ver. Quero agora, enquanto posso aproveitar, enfeitar a casa e apreciar!"
Putz! Que coisa sábia! E se pensarmos em flores não só como a parte da planta em si, mas como agrado e atenção, quanta gente vai no cemitério, se debulha em lágrimas, faz aquele escarcéu, limpa, enfeita, põe dúzias de flores, mas em vida...em vida passou batido, sem homenagens, sem grande paparicações?
Faço minhas as palavras da minha mãe: me visitem, me mandem e-mails, me liguem, me deem presentes e flores enquanto eu for viva! Quem não me visitou em vida que não venha no velório!

http://4.bp.blogspot.com/-SsNNWuq65qQ/Ttv0AJ0OTuI/AAAAAAAAATU/TQeGs3YlONE/s1600/jardim.jpg

Aviso aos desavisados: na minha família a morte sempre foi um assunto comum, não era tratado como tabu, talvez por minha mãe ter sido doente por muitos anos antes de falecer, ela nos prepararou para a morte dela, sem mistérios, sem drama, assim como a morte deve ser encarada, difícil, mas parte do processo. Não é mau agouro [pra quem acredita nisso], é a realidade.

Retomando: eu também, vou procurar, mimar, dar atenção em vida a quem eu quero bem. Nunca fui assídua frequentadora de velórios, até porque a conexão com a chama da vida [do suposto morto] é feita em qualquer lugar e hora. A gente tem que dar mais atenção aos vivos do que aos mortos (Deixa que os mortos enterrem os seus mortos...Lucas, IX: 59-60) e suspeito que muito de paparicação de defuntos tem mais a ver com remorso do que com verdadeira saudade e amor.

Ah...adoro flores, viu? De preferência em vasos. Cactos e suculentas então, adoro, uns de meus favoritos!


Para vocês!



5 comentários:

  1. Genial... eu tb concordo com isso.

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo, adoro flores e vez ou outra me presenteio com elas.
    Quanto a velórios e choratéus, sou obrigada novamente a assinar embaixo.
    Não recordo, mas acho que leste o post em que homenageei a amiga blogueira Ivani, comentei algo sobre finados.
    Beijos amiga, agora sei o que dar-lhe de presente, mesmo que virtual, cactus e suculentas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi sim, Beth, até comentei. achei muito gentil de tua parte.

      Excluir
  3. Concordo em gênero, número e grau com tua mãe e contigo em tudo, inclusive com o gosto que tens pelos cactus e suculentas, são lindos mesmo!!
    Grande abraço!!

    ResponderExcluir
  4. Apoiado! Meu pai foi um homem muito inteligente e ele quis ser cremado (suas cinzas foram jogadas na Alemanha e em Joinville), mesmo assim ele não queria receber flores nem em vida! Ele só queria ver a felicidade dos filhos e até passaria fome para nos ajudar! Me incomoda ver cemitérios no meio da cidade cheios de flores!

    ResponderExcluir

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!