23 de jan de 2016

1 ano

Hoje faz 1 ano que moro aqui, de volta à Porto Alegre. 
Foi um ano bom, estranho, cheio de reviravoltas, mas se transformou em um tempo de tranquilidade.
Pensei que ia morar e trabalhar aqui, na boa. O trabalho não deu certo. Encontrei um ambiente nada bom, de muita falta de diálogo, de nenhuma negociação, de falta de consideração ao que a gente construiu na carreira. Não aguentei! Tentei o que pude, mas estava ficando doente a cada quinze dias. Achei que não valia a pena trocar a minha saúde por salário. Voltei a trabalhar em bicos aqui e ali com interpretação de língua de sinais e tenho vivido, muito bem, por sinal.

Jogaram uma pedra na tranquilidade do lago. O lago comeu-a. Sorriu ondulações. Voltou a ficar tranquilo.

Já, em termos de moradia, estou em um condomínio simples, popular, limpo, todo cercado por mata (principalmente eucalipto e um pouco de mata nativa), com bastante pássaros, com algumas crianças gritantes (nada é perfeito), mas a gritaria acaba às 21h. Fazia muito tempo que eu não me sentia tão segura e com tanta tranquilidade para dormir (silêncio), além de ter meus amigos e parentes por perto. A única coisa que, inevitavelmente, escapa a nossa escolha são os vizinhos.

Evitai vizinhos, se quereis viver em paz com eles.

Este ano precedeu os meus, logo, cinquenta anos e o significado que dei a esta época de paz é de um descanso, uma parada, um fôlego antes de começar nova etapa de vida.
Então, que a transição comece, devagar, porque está tão bom como está (mas tudo é impermanente, né?).

5 comentários:

  1. No work is worth sacrificing your health. My last job gave me so much stress and no peace of mind even on weekend. Glad I quit. I'm very happy you have peace where you are in your life. As you mentioned, things change. I hope only good is coming as you step forward!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Cris!

    Visualizei seu blog através de um outro. Vim espreitar e estou gostando do k estou lendo e vendo.

    Olha, querida, nada é perfeito nem completo na vida, mas que seja satisfatório e pacífico. Isso nos basta, creio eu!

    Gostei da leveza e espontaneidade de seu texto. Acho bem k tenha desistido de ensinar, acho que era isso que fazia, e continuar a se dedicar à outra sua atividade, que acho fantástica e ótima.

    Sou portuguesa, de Lisboa e meu blog não tem painel de seguidores. Não tenho face, nem Google+. Enfim, sou assim! Gosto de paz e privacidade, também.

    Se pretender, terei muito gosto na sua visita ao meu blog, tal como palavras k lá possa deixar.

    Beijos e dias felizes!

    ResponderExcluir
  3. Ah, estava me esquecendo. Adorei seus bichinhos todos, especialmente a Mel.

    Tudo de bom, Cris!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cris!

    Agradeço sua visitinha e gentis palavras, lá no blog.

    Em relação a eu "fechar" a opção comentários nos meus anteriores post's tem uma justificativa, k passo a explicar a você. Eu postava, as pessoas comentavam e esse post estava "arrumado". Postava despois outro poema e algumas pessoas continuavam fazendo comentários no post anterior, onde já tinham deixado, talvez por distração, creio eu. Então, resolvi assim a questão. Meus posts estão 2/3 semanas disponíveis e todo o mundo pode e tem tempo para os comentar. Depois, é assunto "velho".

    Bom final de semana.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, Cris! Um ano, já??? Como passou rápido! Se não estou enganada, teu aniversário é em fevereiro? Que bom que, pelo menos, encontraste um lar com certa paz e tranquilidade. Nós também não queríamos vizinhos tão perto. rererer Mesmo eles aparecendo muito de vez em quando, é mais do próximo do que gostaríamos, e mesmo um dos vizinhos tendo nos presenteado com uma linda penca de bananas ontem. Que ingrata que sou!
    Boa semana!

    ResponderExcluir

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!