28 de fev de 2011

Atropelamento em massa em Porto Alegre: barbárie!

Atenção, estamos no século 21 e não em um campo de luta com bestas, tacapes e troncos de árvores, embora não pareça pelas imagens captadas. Era supostamente para a espécie humana evoluir e, aqui entre nós, acho que o tal fim do mundo não será nenhum cataclisma exterior, mas uma guerra de pedras e paus [parodiando Eisntein]: estamos involuindo. Nossas cidades são o que há de mais perigoso. Que florestas medievais cheias de saqueadores que nada! Nada supera o nosso repertório e nossa TECNOLOGIA (não era pra melhorar nossa vida?) em termos de violência e destruição. Veja o exemplo do pessoal ciclista de Porto Alegre, fazendo sua manifestação, em bicicletas, obviamente, que não são páreo para um carro. Se o pessoal da Massa Crítica não pediu "escolta" para a EPTC e se isto foi o mais correto ou não, é assunto para discussão posterior porque o foco aqui é perguntar: existe justificativa para um carro sair PASSANDO POR CIMA em velocidade acelerada de dezenas de pessoas PELAS COSTAS!?
  • Não existem vias alternativas em Porto Alegre? Sim, existem.
  • Se tivesse alguém passando mal no carro: poderia pegar uma via alternativa, podeira buzinar, poderia gritar para abrirem caminho. Não se viu nada disso.
  • Se, como alega o...o...sujeito que estava dirigindo, ele e o filho foram ameaçados [ok, os ciclistas iam passar por cima do carro com as bicicletas ou atropelá-los?] não seria mais razoável ligar para a Brigada Militar denunciando? Ou em momento de bom senso, parar o carro ou desviar para uma rua alternativa?
Não, a solução foi passar por cima de gente, de pessoas, de seres humanos, homens, mulheres, idosos e jovens, pelas costas, carregando-os, colhendo-os, deixando que fossem levantados e fossem levados no parabrisa? Menos mal que ninguém foi esmagado, mas foi, pasmem, um lance de sorte. É só ver as imagens. E não foram poucas, espero que sejam consideradas no processo a este ser totalmente inabilitado para a vida em sociedade, com absoluta falta de civilidade. Ele poderia ter passado por cima de várias pessoas, ter arrastado-as e ter feito o que fez, covardemente se escondido por esta brecha vergonhosa [suprema vergonha] do flagrante e abandonado o carro. Por que alguém sem culpa abandonaria o carro?
Só espero que este caso não seja mais um a ser noticiado e esquecido e que vá fazer parte da longa lista de crimes que não foram punidos.
En quanto isso, vários homens da caverna andam a solta, prontos para explodirem e machucarem ou matarem alguém, não com um pedaço de pau, mas com um carro ou um revólver. Evolução? Maquiagem, pura maquiagem, ainda somos indignos deste planeta.




4 comentários:

  1. Um absurdo total ! Concordo e assino embaixo de tudo que você escreveu ! Só espero que ele seja processado e preso porque nesse país a impunidade é uma rotina...
    Eu não tinha visto o video ainda e fiquei chocada ! Meu marido anda de bike com um grupo de amigos e sempre aparece algum estressado querendo ultrapassar e xingar os ciclistas.
    Eu acho que tanta tecnologia (e eu adoro tecnologia) torna as pessoas individualistas demais, ninguém se importa com ninguém.
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Laís, deixei de andar de bicicleta há alguns anos, quando me senti por demais ameaçada no trânsito. Por mim eu iria trabalhar de bicicleta, mas morro de medo dos carros!
    Ainda me perguntam porque eu prefiro os animais...

    ResponderExcluir
  3. Pois é Cris. Quando vi o vídeo fiquei sem entender o que estava acontecendo. Como uma pessoa pode jogar o carro propositalmente em cima de outras pessoas? E disse que "teve que fazer isso!!". Pelo visto, este 'senhor' não se deu conta de que feriu seres humanos, iguais a ele e à família dele. A impressão que tenho é que, pra ele, atropelou um monte de objetos e não pessoas.

    ResponderExcluir

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!