12 de fev de 2011

Eu, gato errante, acuso

Eu, gato errante, acuso...
Eu, gato abandonado porque a minha família mudou de casa sem qualquer consideração pela minha sobrevivência...
Eu, abandonada à minha sorte, porque vocês preferem o bebé que eu pari...
Eu, agora doente e que vocês já não querem...
Eu, que vocês abandonam num Refúgio porque envelheci...
Eu, que não sou esterilizado e que procrio de qualquer maneira...
Eu, que o vizinho detesta e que envenenará...
EU, gato errante, que VOCÊS abandonaram,

ACUSO:
Os proprietários de apartamentos que não aceitam que eu viva com a minha família...
As pessoas que me adoptam mas que não me esterilizam, porque é preciso pagar...
As lojas de animais que vendem animais provenientes em grande parte de fábricas de cachorros, gatos, pássaros, roedores e outros...
Certos refúgios que não se responsabilizam e eutanasiam por ser mais fácil...
As Ordens de veterinários que, apesar de conhecerem bem o problema da errância, não se concertam de modo a disponibilizar clínicas de esterilização a preços módicos e para sensibilizar as populações face à proliferação de gatos errantes...
Certos meios de comunicação que, quando as notícias não contêm factos chocantes, pouco ou nada falam do abandono, da negligência e da indiferença face aos gatos errantes...
Todos aqueles que ignoram os comunicados de diversos organismos e indivíduos que denunciam a crueldade para com os animais, em todas as suas formas; porque, não tenham ilusões, o abandono É CRUEL e magoa tanto como as pancadas e os ferimentos...
Os governos que se recusam a alterar os seus códigos penais de modo a reforçar as medidas de condenação de quem abandona, maltrata e abusa dos animais domésticos...
MAS AGRADEÇO a todos aqueles que...
Ouvem este grito de alarme...
Decidem responsabilizar-se...
Tudo fizerem para criar refúgios dignos...
Se dedicam a educar, informar, esterilizar...
Fecharem a sua fábrica lucrativa de produção de gatos e às lojas de animais que se recusarem a vendê-los...
Divulgarem este alerta...
Compreenderam que são responsáveis pela errância dos gatos e escolherem participar na solução...
Voluntária e generosamente nos acodem, nos tratam na doença, nos esterilizam, nos acolhem ou procuram para nós uma família onde poderemos terminar tranquilamente os nossos dias...
Compreenderam que ser proprietário de um animal de companhia não é um direito mas um PRIVILÉGIO com o qual devem mostrar-se dignos...
EU, GATO ERRANTE, QUE MORREREI PROVAVELMENTE DE FRIO E DE FOME NO PRÓXIMO INVERNO, SE PUDESSE FALAR, SE PUDESSE ESCOLHER, TERIA UMA FAMÍLIA...

Um comentário:

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!