13 de fev de 2011

Nossa! Como eu preciso de uma! PO-DE-RO-SA!



Faxineira

Nei Lisboa

Faxineira, fascinante
Onde guardaste o papel
Que eu deixei na estante anteontem
É importante
É o telefone que o Mutuca me deixou
De uma garota de Brasília
Filha única de um governador
Faxineira, fascinante
Eu passei a tarde inteira
Procurando uma palheta
Tava dentro da gaveta
E a gaveta dentro do congelador
E o pior é que a geladeira
Tava dentro da banheira
E a banheira no meio do corredor
Faxineira, fascinante
Como pode ser assim
Num instante fascinante
De repente tão ruim
Faxineira
Diz que vem na terça-feira
Eu digo ãhan
Era clean, virou sujeira
Me aparece no domingo de manhã
Faxineira fascinante
Eu vivo aqui sozinho
Você é meu caminho
Você é meu baldinho de praia
Rodeando meu castelo de papel, oh well
Nao duvide que me caia
Não me deixe pindurado no pincél
Faxineira, fascinante
Como pode ser assim
Num instante fascinante
De repente tão ruim, Faxineira
Que te salva é esse sorriso de marfim
O teu caso não tem cura
Se não fosse a dentadura, era teu fim
Oh Sim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!