8 de set de 2012

Pensamentos de um sábado nublado

Ando muito pensativa...é a fase, é a maturidade, é...
Seguidamente reavalio minha vida, é um hábito, e disto resultaram grandes mudanças que começaram com uma atitude aqui, um comportamento ali e *tcharan* renovada!
Me considero uma pessoa simples, minha casa é modesta, tenho o necessário e, confesso, poucos luxos. Consegui morar no que é meu e que, apesar de pequeno, é perfeito para mim. Verdade que um banheirinho um pouquiiinho maior não seria de todo ruim, mas está bom assim. Ando pensando em simplificar ainda mais a minha alimentação. Faz uns 5 anos que engordei muito (uns 20 Kg), estourei quando comecei o mestrado. Já disse que não me importo de ser foffinha, nunca serei magra, mas estou demais. Tenho até pensado em consultar uma nutricionista só para ela me dizer tudo o que já sei, mas parece que na obrigação a gente toma mais jeito. Ando comendo pouco doce, naturalmente, e troquei o chocolate por alguma geleia ou schimia que não gosto tanto, então como menos mesmo. É mais saudável que chocolate que já não vinha me atraindo tanto. O problema de nutricionista é que algumas querem te obrigar a seguir uma dieta que não tem nada a ver contigo. Eu, por exemplo, não consigo fazer os tais de colação (lanche do meio da manhã) e lanche (da tarde) e isso que minha irmã trabalhou boa parte da vida com nutrição. Ela mesma diz que cada organismo é diferente e eu também acho. As dietas deviam ser personalizadas. Amo frutas; adoro saladas, mas nem sempre estou "vocacionada" a todo o ritual de lavar e higienizar que as saladas exigem; prefiro não comer carne (ando até com nojo); sou A senhora dona preguiçosa na cozinha, então pratos feitos em casa teriam que ser fáceis e rápidos; por conta de meu jeito eu gosto de alguns pratos muito simples, por exemplo, batata, milho, batata-doce, aipim, moranga (uma variedade de abóbora) etc eu gosto só de cozinhar na água e comer. Aham, bem assim, muitas vezes sem nenhum tempero, algumas vezes com shoyu ou um pouco de óleo de oliva. Só!
Por estas e outras que me sinto um pouco fora contexto atual. Sei que tem gente da mesma tribo por aí, mas estamos espalhados. Não tenho frescuras, se for preciso durmo no chão e sem achar ruim, sento em qualquer lugar; não reparo nas roupas que as pessoas estão usando; ando muito a pé e gosto disso; silêncio, pra mim, é benção, não me incomoda (ao contrário); sempre estou verificando se não estou acumulando muito, quero ter menos, quanto mais leve minha bagagem, melhor; dinheiro é para ser repartido e fluir, meu dinheiro é para estudar e viajar, o resto é bobagem. Gostaria tanto de ter um espacinho para plantar, ter um jardim, uma horta, um pomar...Ando sonhando em morar em uma ecovila (não tem por aqui) ou mesmo em um pequeno condomínio formado por amigos e pessoas que tenham os mesmos ideais. Não é fácil encontrar...Ando questionando muito o estilo de vida que anda por aí. Em micro-comunidades, como o condomínio, as pessoas não colaboram, não se conscientizam que vivem em uma COMUNIDADE, não educam os filhos, nem embelezam ou melhoram o seu próprio ambiente onde moram, para mim isto é incompreensível!
Tenho me achado uma rebelde, uma inconformada, com toda a hipocrisia que anda por aí, com esta porcaria de propaganda política, com este sistema de governo que se concentra em uma só pessoa, para mim deveriam existir conselhos governantes e não UM(A) presidente...
Por mim, eu ia pro meio do mato, pra zona rural, para uma cidade menor mas vou viver do quê?
O que me chama agora é uma vida mais descomplicada, com menos pressa e menos exigências. Ler e aprender não por obrigação, mas por prazer, trabalhar na terra, longas caminhadas e muita contemplação da natureza.
Será sonhar demais? Sou uma aquariana inquieta mesmo.
Enquanto isto, vou fluindo e usufruindo o que É neste momento.

3 comentários:

  1. Cris, eu também acho que devemos carregar pouca bagagem material, pois senão a vida fica pesada. Simplificar as coisas e ser feliz. Infelizmente o mundo anda difícil e as pessoas se prendem a tantos detalhes e cobranças de perfeição e a terem mais e mais coisa, que acabam esquecendo de aproveitar a vida, a natureza e as pessoas/animais que fazem tanto bem.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. O convite permanece em pé!
    Tenho certeza que na cozinha fechamos perfeitamente e no despojamento co coisas materiais também. Portanto, se não tens alergia a gatos e já aprendeste que certos "cheiros" em casa cheia de animais são normais, junte alguns "trapos" e venha.
    Bjns
    Beth

    ResponderExcluir
  3. Tirante o amor aos gatos o resto todo é uma tentação, viver de forma descomplicada, sem acumular tralhas(até porque caixão não tem gavetas,né?) também me agrada muito!!Por enquanto é difícil atingir este ideal, quem sabe um dia!
    Grande abraço!!

    ResponderExcluir

É muito bom ler outras pessoas participando aqui mas, por favor, eu também quero comentar: retirem a verificação de palavras do blogue de vocês!
Obrigada!