28 de fev de 2011

Atropelamento em massa em Porto Alegre: barbárie!

Atenção, estamos no século 21 e não em um campo de luta com bestas, tacapes e troncos de árvores, embora não pareça pelas imagens captadas. Era supostamente para a espécie humana evoluir e, aqui entre nós, acho que o tal fim do mundo não será nenhum cataclisma exterior, mas uma guerra de pedras e paus [parodiando Eisntein]: estamos involuindo. Nossas cidades são o que há de mais perigoso. Que florestas medievais cheias de saqueadores que nada! Nada supera o nosso repertório e nossa TECNOLOGIA (não era pra melhorar nossa vida?) em termos de violência e destruição. Veja o exemplo do pessoal ciclista de Porto Alegre, fazendo sua manifestação, em bicicletas, obviamente, que não são páreo para um carro. Se o pessoal da Massa Crítica não pediu "escolta" para a EPTC e se isto foi o mais correto ou não, é assunto para discussão posterior porque o foco aqui é perguntar: existe justificativa para um carro sair PASSANDO POR CIMA em velocidade acelerada de dezenas de pessoas PELAS COSTAS!?
  • Não existem vias alternativas em Porto Alegre? Sim, existem.
  • Se tivesse alguém passando mal no carro: poderia pegar uma via alternativa, podeira buzinar, poderia gritar para abrirem caminho. Não se viu nada disso.
  • Se, como alega o...o...sujeito que estava dirigindo, ele e o filho foram ameaçados [ok, os ciclistas iam passar por cima do carro com as bicicletas ou atropelá-los?] não seria mais razoável ligar para a Brigada Militar denunciando? Ou em momento de bom senso, parar o carro ou desviar para uma rua alternativa?
Não, a solução foi passar por cima de gente, de pessoas, de seres humanos, homens, mulheres, idosos e jovens, pelas costas, carregando-os, colhendo-os, deixando que fossem levantados e fossem levados no parabrisa? Menos mal que ninguém foi esmagado, mas foi, pasmem, um lance de sorte. É só ver as imagens. E não foram poucas, espero que sejam consideradas no processo a este ser totalmente inabilitado para a vida em sociedade, com absoluta falta de civilidade. Ele poderia ter passado por cima de várias pessoas, ter arrastado-as e ter feito o que fez, covardemente se escondido por esta brecha vergonhosa [suprema vergonha] do flagrante e abandonado o carro. Por que alguém sem culpa abandonaria o carro?
Só espero que este caso não seja mais um a ser noticiado e esquecido e que vá fazer parte da longa lista de crimes que não foram punidos.
En quanto isso, vários homens da caverna andam a solta, prontos para explodirem e machucarem ou matarem alguém, não com um pedaço de pau, mas com um carro ou um revólver. Evolução? Maquiagem, pura maquiagem, ainda somos indignos deste planeta.




16 de fev de 2011

Dono do Pedaço: Gilberto Gil

Aos gatos!



Dono do pedaço

Gilberto Gil

Composição: Letra: Waly Salomão, Antonio Cicero; Música: Gilberto Gil
Sou um gato esperto
Não sou tatu, não
Não sou nem do mato
Quando eu ganho a rua
Eu ganho corpo
Nada eu acho chato
Gingo, tiro chinfra
Dono do pedaço
Escrevo e driblo amor e dor
Soberano, traço
Quem eu quero, eu sei ser
Quadro, giz e apagador
Eu e meus amigos
Temos nesta vida
Poderosos aliados
Cor, calor, sabor da rua
E de repente
Um coração que eu já fiz
Que eu já fiz
Tão feliz

15 de fev de 2011

Semente do Amor: A Cor do Som

Ao amor, que precisa de mOOOito cultivo.



Semente do Amor

A Cor do Som

Sim, é como a flor
De água e ar luz e calor, o amor precisa para viver 2x
De emoção, e de alegria, e tem que regar todo dia
No jardim da fé,
Eu já plantei um pé de esperança
No tempo do tempo,
Dia, chuva, vento e pensamento
Num jardim da vida
Já cresceu e é a consciência
Fruto da vivência é
É a consciência é
Sim, é como a flor...

14 de fev de 2011

Retiro: Paulinho da Viola

Eu ando super musical. Então lá vai uma semana "retrô".
Foi um verdadeiro trabalho de arqueóloga descobrir estas músicas que me marcaram e...sumiram!
Enquanto eu me "retiro" (estudos), vou escutando as músicas e vocês curtindo aqui.



Retiro

Composição: Paulinho da Viola
Meu tempo às vezes se perde
Em coisas que não desejo
Mas não repare esse lado
Pois meu amor é o mesmo
Nos momentos de carinho
Eu me desligo de tudo
Nos braços de quem se ama
É fácil esquecer o mundo
Às vezes eu me retiro
E nada me faz sentido
Só há um canto na vida
Aonde eu me refugio
Afasta as sombras que eu vejo
Em teus olhos tão aflitos
Você conhece minh’alma
E quando quer me visita

13 de fev de 2011

Nossa! Como eu preciso de uma! PO-DE-RO-SA!



Faxineira

Nei Lisboa

Faxineira, fascinante
Onde guardaste o papel
Que eu deixei na estante anteontem
É importante
É o telefone que o Mutuca me deixou
De uma garota de Brasília
Filha única de um governador
Faxineira, fascinante
Eu passei a tarde inteira
Procurando uma palheta
Tava dentro da gaveta
E a gaveta dentro do congelador
E o pior é que a geladeira
Tava dentro da banheira
E a banheira no meio do corredor
Faxineira, fascinante
Como pode ser assim
Num instante fascinante
De repente tão ruim
Faxineira
Diz que vem na terça-feira
Eu digo ãhan
Era clean, virou sujeira
Me aparece no domingo de manhã
Faxineira fascinante
Eu vivo aqui sozinho
Você é meu caminho
Você é meu baldinho de praia
Rodeando meu castelo de papel, oh well
Nao duvide que me caia
Não me deixe pindurado no pincél
Faxineira, fascinante
Como pode ser assim
Num instante fascinante
De repente tão ruim, Faxineira
Que te salva é esse sorriso de marfim
O teu caso não tem cura
Se não fosse a dentadura, era teu fim
Oh Sim

12 de fev de 2011

Eu, gato errante, acuso

Eu, gato errante, acuso...
Eu, gato abandonado porque a minha família mudou de casa sem qualquer consideração pela minha sobrevivência...
Eu, abandonada à minha sorte, porque vocês preferem o bebé que eu pari...
Eu, agora doente e que vocês já não querem...
Eu, que vocês abandonam num Refúgio porque envelheci...
Eu, que não sou esterilizado e que procrio de qualquer maneira...
Eu, que o vizinho detesta e que envenenará...
EU, gato errante, que VOCÊS abandonaram,

ACUSO:
Os proprietários de apartamentos que não aceitam que eu viva com a minha família...
As pessoas que me adoptam mas que não me esterilizam, porque é preciso pagar...
As lojas de animais que vendem animais provenientes em grande parte de fábricas de cachorros, gatos, pássaros, roedores e outros...
Certos refúgios que não se responsabilizam e eutanasiam por ser mais fácil...
As Ordens de veterinários que, apesar de conhecerem bem o problema da errância, não se concertam de modo a disponibilizar clínicas de esterilização a preços módicos e para sensibilizar as populações face à proliferação de gatos errantes...
Certos meios de comunicação que, quando as notícias não contêm factos chocantes, pouco ou nada falam do abandono, da negligência e da indiferença face aos gatos errantes...
Todos aqueles que ignoram os comunicados de diversos organismos e indivíduos que denunciam a crueldade para com os animais, em todas as suas formas; porque, não tenham ilusões, o abandono É CRUEL e magoa tanto como as pancadas e os ferimentos...
Os governos que se recusam a alterar os seus códigos penais de modo a reforçar as medidas de condenação de quem abandona, maltrata e abusa dos animais domésticos...
MAS AGRADEÇO a todos aqueles que...
Ouvem este grito de alarme...
Decidem responsabilizar-se...
Tudo fizerem para criar refúgios dignos...
Se dedicam a educar, informar, esterilizar...
Fecharem a sua fábrica lucrativa de produção de gatos e às lojas de animais que se recusarem a vendê-los...
Divulgarem este alerta...
Compreenderam que são responsáveis pela errância dos gatos e escolherem participar na solução...
Voluntária e generosamente nos acodem, nos tratam na doença, nos esterilizam, nos acolhem ou procuram para nós uma família onde poderemos terminar tranquilamente os nossos dias...
Compreenderam que ser proprietário de um animal de companhia não é um direito mas um PRIVILÉGIO com o qual devem mostrar-se dignos...
EU, GATO ERRANTE, QUE MORREREI PROVAVELMENTE DE FRIO E DE FOME NO PRÓXIMO INVERNO, SE PUDESSE FALAR, SE PUDESSE ESCOLHER, TERIA UMA FAMÍLIA...

9 de fev de 2011

Cuia de Embuia

Tenho um monte de cuias diferentes aqui em casa, mas ESTA da foto é muito original!
http://www.flickr.com/photos/cacajb/4044542074/in/photostream/

8 de fev de 2011

Agradecimentos por ontem

A todos que lembraram e me parabenizaram por meu níver: *smacs*

7 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 1

FELIZ ANIVERSÁRIO, MEL! 8 anos!
FELIZ ANIVERSÁRIO, BENTA! 1 aninho!


Ah...sim, esqueci de dizer: hoje, também, é meu aniversário. Como eu sabia o mês das peludas, mas não o dia, puxei as duas para o "meu" aniversário, assim comemoramos juntas!

6 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 2

  1. não gosto muito de falar de mim, mas...
  2. às vezes a gente precisa: variar, mudar de estratégia, se abrir, surpreender, diversificar, ...(mas que eu tomei um fartão de comentar a mim mesma, ah...tomei!).
Para conseguir levar a vida que a gente quer precisamos assumir todas as consequências de nossas escolhas: "pra bancar a mudança, tem que ter coragem!"
http://www.millan.net/

5 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 3

  1. confesso que tenho um "quase" vício: chimarrão, mas já passei até duas semanas sem tomar..óóó;
  2. sou meio selvagem: sento e  durmo no chão se precisar (e, às vezes, até por prazer), como vários legumes e verduras só cozidos (aipim, moranga, milho, batata-doce, batata inglesa...) e nem sal precisa, visto qualquer coisa que não seja apertada ou machuque, mais um pouco eu saio correndo pra mata e não volto mais [tem dias que dá vontade...];
  3. tenho alguns sonhos excêntricos ligados às plantas: 1 - plantar uma florestinha de araucárias, pelo menos, uma a cada ano de vida meu, 2 - ter uma coleção de árvores, 3 - em vida, fazer um parque natural, preservar uma área com sua vegetação nativa e poder deixar assegurado que esta área seja preservada quando eu me for e que, JAMAIS, meu nome seja colocado ali (homenagens com nome de pessoas, vivas ou mortas, eu acho muita autopromoção, mesmo que póstuma...hehehe), 4 - criar um jardim, com recantos perfumados, dos colibris, das borboletas, e por aí vai...
"Senhor, fazei com que eu aceite minha pobreza tal como sempre foi.
Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter e se perdeu por caminhos errados e nunca mais voltou.
Dai, Senhor, que minha humildade seja como a chuva desejada caindo mansa, longa noite escura numa terra sedenta e num telhado velho.
Que eu possa agradecer a Vós, minha cama estreita, minhas coisinhas pobres, minha casa de chão, pedras e tábuas remontadas.
E ter sempre um feixe de lenha debaixo do meu fogão de taipa, e acender, eu mesma, o fogo alegre da minha casa na manhã de um novo dia que começa." Oração da Humildade de Cora Coralina
http://dodesign-s.com.br/arquivos/2009/05/mata-araucaria-dodesign-s.jpg

4 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 4

  1. preconceito e discriminação existem de todos os lados: homens, mulheres, brancos, negros, ouvintes, surdos, pobres, ricos, etc. Eu prefiro trabalhar com o que temos em comum, animais humanos e não humanos: vontade de viver, dores, procura por sobrevivência e conforto, prazeres e alegrias, todos os seres compartilham, procuro agregar e não subdividir. Ficar demonizando o outro, só porque ele/ela pensa/sente e age diferente é muita mediocridade;
  2. arroz e feijão novinhos, salada e batata frita: uma das melhores comidas do mundo!
  3. já fui e/ou vou ser uma nômade/andarilha;
  4. o banho é uma das melhooores invenções da humanidade!
"Praticar o bem, evitar o mal, purificar a própria mente: este é o ensinamento de Buda"
http://fabizinhanunes.blogspot.com/2011/01/lagartixa-domestica.html

3 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 5

  1. não paro para ver um espetáculo, um bloco de carnaval, um desfile, mas paro para ver: uma revoada de pássaros, uma planta interessante e/ou desconhecida, a água rolando nas pedras...coisas assim;
  2. não gosto de cozinhar, até sei, mas não gosto;
  3. cheiros e aromas: terra molhada, pó-de-café e café passado na hora; pão assando; gardênia/madressilva/lírio do brejo (dentre várias flores perfumadas que amo), de frutas maduras, da pele das pessoas amadas, comidinha caseira, chulezinho de gato, sou uma pessoa olfativa, por excelência;
  4. adoro rir e o que mais me faz dar risadas alto são as micagens de minhas gatas;
  5.  não tenho sonhos de geladeiras de inox de não-sei-quantos-mil, de casa/apto. de trocentos milhões, de bobagens "de marca", só quero ter o suficiente para viver, se possível um lugarzinho para jardinagem, para as gatas tomarem sol e correrem e, meu sonho de consumo: viajar.
 "Deixe tudo como está e descanse sua mente exausta". Aforismo Budista Dozgchen


2 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 6

  1. mais do que o Sol, mais do que a Lua, prefiro as nuvens;
  2. flores-do-campo ou flores perfumadas, de preferência que atraiam colibris (beija-flores) ou borboletas;
  3. em viagens, mil vezes uma paisagem natural ou um parque do que monumentos e arquitetura;
  4. no meu passinho vou looonge;
  5. este mundo é muito louco pra mim, é belíssimo, é o paraíso, mas percebo que a maioria das pessoas vive aérea, inconsequente, alienada, sonolenta e vai destruindo tudo pelo caminho...não me encaixo, mas vou vivendo até que seja a hora;
  6. creio mais na revolução individual do que em uma revolução de fora.
"Houve um tempo em que eu acreditei em palavras". Francisco de Assis

http://2.bp.blogspot.com/_JpbZjqaoBEA/TPLuJWUkFLI/AAAAAAAARAk/nhLlDMhaDw4/s1600/joaninha.jpg


1 de fev de 2011

Contagem regressiva progressivamente: 7

  1. gosto de natureza, animais em geral e, especialmente, cães e, mais especialmente ainda, de gatos;
  2. não gosto de música ao vivo em bares e restaurantes, atrapalham a conversa, prejudicam a digestão e machucam os ouvidos [geralmente é muito alta];
  3. preciso de salada e não vivo sem frutas;
  4. tenho grandes dificuldades de lidar com a incompetência alheia, preciso trabalhar isso!
  5. meu lar é meu refúgio, aqui eu tenho PAZ;
  6. ler, caminhar e contemplar...meu lazer;
  7. me orgulho da vida que construí:
"Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores" Cora Coralina
http://www.yun.com/mid/yun_3132.jpg